Na última Bienal do Livro de São Paulo fiz uma generosa compra de livros: de best sellers a pequenos novos clássicos da literatura mundial, porém em função do  TCC meus momentos de leitura acabaram se reduzindo a trilogia Millenium (que já falei aqui no blog) e a outros dois títulos interessantíssimos: O norte americano Comprometida da badalada Elizabeth Gilbert (Comer, amar e rezar) e o denso A salvo de nada do francês Oliver Adam.

 

Elizabeth Gilbert

O 1º é uma continuação do livro transportado para as telas por Julia Roberts no meio do ano. Retrata o ano em que a autora se viu obrigada a casar-se novamente. Reflexiva que é, Elisabeth tratou de fazer o que melhor sabe; pesquisar e escrever sobre o assunto, no caso, casamento.

Com a mesma leveza e tom coloquial Gilbert pincela diversos períodos da história, e as diversas visões e estruturas que um relacionamento pode ter. Leve e simpático o livro pode gerar reflexões muito interessantes sobre o tão temido ou sonhado casamento.

 

Olivier Adam

Em contraponto Adam descreve uma figura complexa e completamente depressiva eu seu romance A salvo de nada, onde a xenofobia francesa e a instituição familiar são analisados em profundidade.

Com um inicio vagaroso e melancólico o livro se desenvolve para denuncias bem elucidadas e um comportamento humano real e triste.

Ambos merecem ser lidos, então fica a dica de presente para amigo secreto.

Advertisements