Como se mensura um amor? Como classifica uma paixão? O quanto vale um relacionamento?

Essas são dúvidas recorrentes para todos nós. Mas falamos sobre ela o tanto que deveriamos? Tenho e tive muitos amores. A maioria amizades, profundas, sinceras e que se desfizeram por motivos diferentes, mas se desfizeram…

A poucos dias um amigo levou essa questão mais a fundo: Como encarar que uma pessoa não te ama? Como encarar que alguem que você daria a vida não quer estar com você?

A resposta é simples: Não se encara, não se lida, só se reza pra que a dor diminua e a lembrança daquela pessoa vá se tornando mais distante.

Quando os erros são seus, pode-se pedir desculpas, quando não, também. Chama-se popularmente de engolir sapos, dar o braço a torcer. Mas até que ponto é valido?

Ao fazer aquela critica a um amigo, namorado, marido. Aquela frase fatal que faz o outro repensar toda uma história, que rompe relacionamentos, pode ser um fim ou um começo.

Me doi ver um amigo ferido, me doi pensar nos amigos que se foram antes da hora por erros de ambos os lados, mas me encanta as surpresas da vida, o amor que surje do nada, o companheirismo de quem se menos espera.

Se você está lendo isso e é dos amores que se foram, minhas sinceras desculpas, se é dos que resurgem ou surgem meus sinceros agradecimentos.

No fim das contas quem sabe não seja possível se quantificar o amor? Talvez tentar somar os que te querem, subtrair os que não e principalmente se dividir o quanto for necessário para saber amar e ser grato por todos eles.