Eu sempre tive certezas, mas hoje percebi que deveria ter dúvidas.

Construí para minha vida caminhos concretos, cimentado de falsas verdades.

Não existem verdades, existem momentos, e eu passei alguns anos insistindo em prolongar momentos em uma tentativa vã de transforma-los em certezas.

Coloquei culpa a onde era possivel culpar algo ou alguém, e esqueci de me dar créditos.

Como sempre eu fui do 8 ao 80. Prezo pelo bom senso, mas é o que mais me falta.

Fui do condescendente ao intolerante, do amoroso ao distante, do orgulhoso ao culpado. E me perdi.

Agora consigo respirar, fazendo pequenas coisas que me mantem vivo, buscando ajuda.

Queria mandar e-mails, pedindo desculpas, acusando, agredindo ou simplesmente chorando. Mas esse é um velho hábito, que não vai voltar.

Agora voltarei a olhar nos olhos, pois só assim vou ser alguém novamente.

E você?  Já percebeu que passou tanto tempo culpando alguém que se esqueceu de você, de quem você é?

Advertisements