Etiquetas

, , , , , ,

É, definitivamente sou uma pessoa da noite. E não só das festas, baladas e jantares.

Tenho, desde que cheguei a Santiago, ficado uma ou duas horas olhando a noite passar do lado do meu hotel.

Não, não tenho uma sacada com vista ou um lindo monte ao meu lado. Estou no centro da cidade, que seria algo como o bairro da República em São Paulo se fosse mais civilizado e seguro.

Entre meia noite e uma da manhã os carros param para abastecer as lojas e os catadores de papel destrincham as licheiras enquanto fumo meu cigarro.

A noite aqui é tranquila, e os movimentos mais leves que o do dia, se isso for possivel tendo em vista que os santiaguinos vivem em bancos e parques contemplando o nada, ou o tudo se preferir.

Notei que raramente os casais andam de mão dadas ou se parecem um casal, mas basta caminhar entre os inumeros gramados da cidade para ver beijos (no my calientes). Ah, e são casais de todas as idades e generos, gays são minoria mas não é dificil cruzar com algum por aqui.

Vim sozinho e estou amando cada minuto, com amigos seria bom, mas não o melhor. Santiago combina com namoro, com famila, e achei engraçado, eu que não sou afeito a nenhuma coisa nem outra, estar gostando tanto.

Acho que é reflexo do que sinto: vim sem expectativas, ambições ou planos e as coisas não poderiam ter sido melhores: ri comigo mesmo incontaveis vezes, li o que não lia a meses, conheci pessoas incriveis (algo que estava me fazendo muito falta inclusive) e percebi que precisei vir sozinho para a cidade dos enamorados para perceber o quanto minha propria companhia é benefica🙂

Recomendo a todos uma visita a cidade assim que possivel e durante a semana vou soltando posts com as dicas e causos da viagem