Etiquetas

, , , , , , , , , , ,

Quando me perguntaram o que iria fazer no Chile não soube bem o que responder: tem museu? É bom de fazer compras? Tem passeios? Ótimas perguntas que não tinha respostas até chegar lá.

Como já falei, fiquei exclusivamente em Santiago por 5 dias, então nos meus posts não teve dicas de como ir para as cidades próximas (que valem super a pena mas não tive tempo) então vale uma search.

Pra mim, fora comer, o que melhor a capital chilena tem a oferecer é arquitetura, paz e compras (que ganha um ultimo post só pra elas):

O mais importante é que é tudo plano, ou seja, dá pra passar horas caminhando que dificilmente vai se cansar: os guias de viagem e posts ajudam mas o melhor é fuçar: a cada esquina existe uma vila, uma pracinha ou uma lojinha que dá vontade de morrer:

Sede do governo Chileno

Sede do governo Chileno

Um dos muitos casarões da cidade

Centro financeiro ❤

Fachada dos predinhos próximos ao Museu Nacional de Bellas Artes

Teatro municipal

Todos esses lugares descobri caminhando, estão em pontos diferentes da cidade. Pensei em fazer um guia como o de Buenos Aires divido pelos bairros mas mesmo tendo ficado 5 dias não entendi muito bem o que estava em cada lugar, então nem valia a pena, por isso é sempre bom ter um mapa completo ao invés desses guias brasileiros mega segmentado. A maioria dos hoteis e hostel dão um mapa geral na faixa.

Espaços culturais preferidos

Nos primeiros dias optei pelo classico: Mac, Museu Nacional de Bellas Artes, Museu pré colombiano e foi uma tristeza: as exposições são bem fracas, uma curadoria estranha sem lógica ou ordem mas faz parte.

Ai encontrei fora dos guias meus 2 espaços preferidos de Santiago:

Gam

o GAM é, acredito eu, o maior centro cultural de Santiago: com dois prédios e uma arquitetura tão incrivel que foi considerado o melhor projeto arquitetônico da América latina em 2010. Em uma pesquisa achei esse post foda falando sobre sua construção.

O espaço abriga muitas pequenas exposições, peças de teatro, biblioteca, lançamentos de livros e um restaurante delicia:

 

Endereço: Av Libertador Bernbardo O´Hoggins 227 que é a av principal da cidade chamada de Alameda por todo mundo por lá. Próximo ao metro Universidad Catolica.

Plaza Mulato Gil de Castro

Essa “praça” na verdade é uma pequena vila composta de restaurantes, lojinhas e dois museus. É uma areá extremamente elegante e fofa no bairro Lastarria:

Museu Arqueológico de Santiago

Achei esse museu uma graça: com um documentário passando full time e uma única sala de exposição tem uma curadoria infinitamente melhor que o pré colombiano. Vale a meia hora da visita.

Museu de Artes Visuais

Com quatro saletas o museu de artes visuais coloca ordem ao caos da arte contemporânea chilena, praticamente sem instalações eletrônicas como é comum no Brasil é capaz de perceber o processo de criação de cada obra.

Foi lá que conheci a obra do Roberto Matta, que já na década de 60 fazia pinturas em óleo sobre tela que me remeteu ao gráfite atual e fiquei apaixonado.

A paz verde da cidade

Já disse e vou repetir:  Santiago é uma cidade incrivelmente tranquila e romântica, cercada por montes é possível fazer pequenas caminhadas de 10 minutos e ter uma visão privilegiada do que acontece por lá.

Parque e praças são comuns, e ver casais namorando e familias brincando mais ainda.

Três espaços me chamaram atenção:

Cerro Santa Lucia

Entre o Centro e Lastarria, esse monte conta com um espaço de evento e restaurantes elegantes no topo, não fui em nenhum dos dois porque era final da tarde mas valeu pela vista:

Rio Mapocho

Esse rio que corta a cidade é apenas um riacho depois da alta estação (meados de setembro) mas é incrível, além de cortar a cidade ele é esteticamente agradavel pelas suas pedras e instalações visuais: próximo ao metro Baquedano fica mais bonito pelos grafites e agito noturno.

Cerro San Cristobal 

Ponto mais alto da cidade, dá uma boa caminhada, coisa de 45 min a pé,  5 de carro ou 3 de bondinho.

Os locais aproveitam o trajeto de bike, que pode ser alugada ao chegar no parque.

O cerro conta também com zoologico e uma série de outras atividades que podem ser descoberta pelo mapinha gratis distribuídos em um dos pontos de informação ao turista.

No topo é possível ter uma visão panorâmica da cidade e comprar bugigangas locais (um dos únicos lugares da capital que isso é possível na verdade)

Para outras dicas e saber tudo da viagem é só clicar aqui

Advertisements