Etiquetas

, , , , , , ,

Vamos lá: como disse o preço das coisas em Santiago é quase o mesmo que de São Paulo, mas é possível tirar algumas vantagens, por exemplo:

– A bebida nas baladas são caras, estando a cerveja em torno de 8 reais, mas a entrada é geralmente 10 ou 20 reais então tudo bem.

– A balada começa tarde, por volta das duas da manhã, então dá pra se acabar nos bares, que quando baratos cobram 800 ou mil pesos pelo chop (3 a 4 reais) em uma caneca de meio litro :-O

Uma cerveja meio ruim mas tomei pq precisa trocar dinheiro ahahha

– Ficar bebado é MUITO fácil, a cerveja é mega forte e o vinho baratissimo.

– Acha que vai dançar horrores na balada? Esquece, em 80 % tem mesas, assim, no meio da pista.

– As pessoas bonitas estão na rua não nas baladas, mas vale a visita: de gay fui na Fausto (só velho) na Avenida Santa Maria, 832In e Bokhara na Rua Pío Nono 430 (Blue Space local, com show de drags incríveis e aquelas músicas chilenas magoadas e flauta peruana de fundo hahaha) e hetero a Blondie, Alameda 2879, loc 104 que toca rock (ótimo som, pessoas não tão bonitas).

Todos os guias me falaram: Vá a Calle Constituicion e fiquei longe da Calle Pio Nono (são paralelas) porque a 1ª é chique e segura e a segunda obscura e perigosa, mas por Deus eu sou revoltado e fui direto pra Pio Nono: melhores bares, muitos regatones, gays, heteros, jovens e  espaços tematicos que tocam só reggae ou rock.  Ali me senti em casa em uma Rua Augusta plana e segura. Fui praticamente todas as noite, para chegar é só saltar na estação Baquedano.

Para os lados da Constituicion tem além da casa do Neruda, que eu não visitei porque só rolava de tour e eu tenho preguiça de grupo e guia tem a Calle Dardignac onde se concentram vários teatros e bares, lá vi uma das exposições preferidas: Os trabalhos em carvão do Gonzalo Ilabaca na Ladron de Bicicletas, um misto de café, teatro, cinema e galeria:

Mini espaço cultural preferido

Para ver detalhes, endereço e programação é só clicar aqui

 

– Se você curte Jurupinga arraza no pisco, eu super gorfei com ele porque além de horrivel é mega doce, mas os locais amam e não tomar é meio que vir ao Brasil e não beber caipirinha (que também não sou mto fã, então não sou parâmetro).

Compras, compras, compras

É rico? Vai pra Ñuñoa, Las Condes, Vicatura e Providencia: esses são os bairros cuicos (mauricinhos) lá ficam as lojas caras e o bares cheio de chilenos de polo e chilenas de it bags. Não preciso nem falar que só dei uma passada em tais lugares pra falar que vi né?

Minhas compras forma nos bons e amados brechos :))))))

Na verdade lá eles chamam de loja de roupa usada, não existe o nome Brechó especificamente e o paraíso fica nas ruas Rosas e Bandeira onde se cruzam no centro

Cruzamento dos brechós descoberto ao acaso

Minhas compras foram 4 camisas, uma jaqueta jeans e 1 shorts e tudo saiu por 120 reais, isso mesmo CENTO E VINTE REALIDADES por 6 peças de roupa mega boas.

Única foto que apareço na viagem com uma peça q não comprei pq tava apertada mas eu amei :/

Uma das 4 camisas fofas compradas

Camisa Abercrombie & Fitch que custou 20 reais

Compra preferida: jaqueta jeans também por 20 reais.

Aparentemente é hábito dos locais comprarem e venderem peças nos brechós eu recomendo a BOW que tem unidades na Monjitas 827, Bandera numeros 761 e 765 e a Nostalgic quem conta com 6 unidades, 2 na San Antonio (371 e 501) e 4 na Bandera (623, 721, 693 e 573)

Sem preconceito vale uma visita nas fast fashions locais: a Ripley e Paris são as mais carinhas mas tem as peças melhores, não comprei nada porque era tudo mega básico então não orna muito comigo.

Os Shopping são boas opções de compras mas como não curto nem no Brasil, não ia ser no Chile que ia me arriscar, mas pelo pouco que vi sai o mesmo valor.

Bom, acho que isso cobre toda a viagem, se quiser ver todos os outros posts com mais dicas é só clicar aqui e se quiser outras dicas é só pedir nos comentários que se eu não souber procuro descobrir com as amiga chilenas que fiz por lá 🙂

Advertisements