Etiquetas

, , , , , , , , , ,

Meses atrás uma já manjada discussão rolou na firma: heterossexuais homens podem usar mini shorts estilo alfaiataria sem parecer gay?

Primeiro vamos lá: o que é parecer gay? Bom, eu acredito que existe uma estética gay e isso é um tanto inegável e não vejo problema nenhum nisso, cada cultura tem suas peculiaridade e características e a da gay é esse senso estético mais apurado ou exagerado se preferir. Obviamente isso não é uma coisa unânime, assim como não são todos os judeus que usam quipá, ou todos os negros que fazem penteados afros lindos. É uma generalização e não tem nada de errado nisso quando se entende generalização como um hábito comum a cada grupo social.

Agora voltemos as calças: historicamente, em meados da década de 30, o comprimento da calça estava ligada ao processo de amadurecimento dos homens, onde com o decorrer dos anos a criança passava dos shorts para a calça curta chegando enfim às calças na adolescência, idade adulta. Temos aqui um hábito social que se extinguiu mas que deixou raízes e o shorts virou sinal de falta de hombridade portanto “coisa de viado”.

Ai temos a Gloria Kalil que falou mais de uma vez sobre a oportunidade perdida por Mr Bill Gates de revolucionar não só a comunicação e a tecnologia mundial como também o guarda – roupas masculino. Gates foi o primeiro a ter comando diante dos antigos padrões de negócios e comportamento social, era um nerd com dinheiro e poder suficiente para fugir ao clássico terno e gravata mas não o fez. Steve Jobs também perdeu essa chance mas comprovou que não é necessário seguir um padrão de vestimenta para ser bem sucedido.

Ora, se Bill Gates ou Steve Jobs não foram capazes de alterar um padrão estético quem poderá faze-lo? Tudo é uma questão de boa vontade e que com certeza não pode contar com a industria da moda que é extremamente fechada e predominantemente gay, o que dificulta o processo.

Passei  horas procurando bons looks masculinos que envolvessem o mini shorts e tivesse uma cara de heterossexual, mas uma coisa me impedia: os modelos – ao escolher um casting uma marca opta por homens musculosos ou extremamente magros: ambos núcleos fora do padrão estético real e quando em editoriais estão associados a acessórios, algo também incomum no universo masculino.

Diante disso, só me resta um apelo aos amigos gays e heteros: usem o mini shorts se quiserem, parecendo gay ou não, deixa o corpo com um formato incrível,  panturrilhas (e as vezes coxa) a mostra, ajuda nesse calor senegalês que vire e mexe surge e principalmente vai fazer com que as pessoas se habituem ao look e finalmente parem com preconceitos bobos.

Advertisements