Etiquetas

, , ,

Hoje o tema do dia foram expectativa e atitudes. Talvez tenha sido o novo ano ou simplesmente o cumprimento de uma meta.

Pouco antes do Natal decidi tirar a data para celebrar uma espécie de dia do perdão, mas como sempre, a vida tratou de me trazer outras coisas no lugar: magoa raiva, tristeza e drama, muito drama.

Ai veio a semana entre festas, onde fiquei praticamente 4 dias sozinho: trabalhando, conversando com um amigo ou outro mas nenhum contato mais humano e não poderia ter sido melhor.

Quinta e sexta – feira sai sem pretensões, sai para beber e conversar, sai para me distrair, sai para viver dias tranquilos e alegres que a tempos não vivia.

Sábado por sua vez foi o momento de loucurinha: embarquei de avião para o Rio apenas com uma mala e uma passagem de ônibus para volta no domingo as 21h.

Chegando na cidade mandei algumas mensagens e uma amiga me ofereceu um chuveiro: pronto, deu tudo certo e em 14 horas fui a praia, fiz compras, vi gente, conheci pessoas fofas e principalmente, tive meu dia do perdão:

Por volta das 7 da noite caminhei de Copacabana ao Arpoador, subi até a pedra mais alta e sentei vendo um mar bravo e céu furioso. Um vento cortante me fez companhia por quase 1 hora, tempo em que avaliei meu ano, lembrei das pessoas e chorei, lagrimas curtas, nada dramático, apenas um choro de alegria por finalmente ver as coisas mudarem.

Depois, a meia noite, ao me perder de todos os conhecidos me peguei em meio a Copacabana ao som de All you need is Love e aquela queima de fogos indescritíveis. Dessa vez sorri, vi os casais e amigos se abraçando e percebi que minha estada no Rio estava encerrada e fui para rodoviária onde troquei a passagem para as 2 da manhã.

Foi preciso ir até Rio sozinho, sem planos, sem rumo para concluir meu ano que começou terrivelmente ali, naquela mesma areia.

Não pulei 7 ondas, não comi lentilha, não guardei uma nota na carteira. Não precisei, porque tudo que eu precisava já estava ali, minha paz, minha liberdade, minha alegria, meu perdão e principalmente a certeza de que estou no caminho certo.