Etiquetas

, , , , , , , , , ,

Desde que conheci o Gabriel Louback e o Pedro Jansen tenho pra mim que todo texto deve conter uma história – seja ela curta ou longa, deve estar lá. É como se um informativo nem pudesse alçar o título de texto, é um simples informativo, o baixo clero da escrita por assim dizer.

Mas esse post não é sobre escrita e sim sobre historias: tenho uma amiga de poucos anos, coisa de um ou dois que desenvolvi uma relação deliciosa onde uma vez a cada dois meses, as vezes mais, as vezes menos, nos ligamos ou falamos pelo gtalk: ” hey ta livre? Vamos fazer alguma?” 90% das vezes da certo e jantamos, vamos a algum bar ou cinema e contamos como vai o trabalho, a família, os corações, tudo de forma muito orgânica, fácil e simples. Não tenho com a Isa cobranças ou boate o que acredito ser a chave de uma amizade sincera e tranquila.

Ontem ela se atrasou e acabamos perdendo o filme programado e ficamos com a próxima sessão: o documentário brasileiro “As Canções”. Particularmente não sou muito fã de documentários, acho na maioria das vezes estruturalmente falhos; ou em excesso de informações ou deficiente delas. Mas temos também documentários compostos de pequenas entrevistas como o deslumbrante “Janela da alma”e esse igualmente emocionante As Canções. Conheço muito pouco da obra do diretor Eduardo Coutinho, na verdade só “Edifício Master” mas já sou fã.

No novo documentários as historias vem acompanhadas de música ou melhor, as musicas vem acompanhadas de histórias, assim como os lindos textos do Louback e do Jansen. Perdi as contas de quantas histórias foram contadas em 1 hora e meia de projeção, de quantas canções foram cantadas, só sei que tudo passou muito rápido, que chorei, ri, e me emocionei com aquelas vidas, aqueles amores, aquelas dores.

Se você conhece o mínimo da discografia do Roberto Carlos vai se emocionar mais ainda, se não, aquelas letra são suficientes para entender porque é dele o recorde de citações sendo Olha cantada duas vezes. Tem também Chico, Jorge Ben, Wanderleia, Noel Rosa e outras tantas, incluindo canções próprias de alguns entrevistados. Caso você desconheça esses artistas ou as musicas não faz mal, lembre-se, as historias são tudo e e em As Canções elas estão presentes nas letras, depoimentos, olhares e expressões.

Escrevo esse post na esperança de que As Canções seja visto mais e mais, e que se reconheça e importância das historias em nossa vida, afinal, se não for por elas do que vale tudo que passamos, erramos ou aprendemos?

A canção Olha de Roberto Carlos em dois momentos: apresentação do rei e da baiana Ivete Santalo no especial: Elas cantam Roberto.