Etiquetas

, ,

Se existe uma pessoa pouco saudável, despreocupada com atividades físicas e relapso com exames e consultas medicas esse alguém sou eu. Mas como tudo na vida, as coisas mudam: não, não me tornei um desses ativistas do bem estar, mas estou me adequando uma rotina extremamente diferente da que conheci nesses 23 anos: a cultura do não excesso.

Resolvi entrar em uma rigorosa dieta a exato 1 mês e perdi11 kgnesse tempo, mas isso não é o mais relevante – o que importa é que fora a restrição alimentar que me deixou menos faminto, ansioso e mais bem humorado, não estou bebendo. Bebo desde os 15 anos e como tem sido bom ter energia para a balada inteira sem vontade louca de ir ao banheiro, de trupicões e cansaço.

Apesar de sentir falta de uma boa cerveja a delicia da observação e disposição alcançada tem sido incrível. Passei por festas open bar, uma comemoração tripla de aniversario que foi do bar a um churrascao na laje, tudo na base da boa e velha água (com coca zero de presentinho alguns dias).

Ah, academia diária e caminhadas aos finais de semana foram incorporadas a rotina, não tomei gosto ainda, acho que nem vou tomar mas só das ladeiras do Jardins terem deixado de se tornar uma escalada ao Evereste e as escadarias do metro não me darem dores mas pernas já me fazem aguentar os exercícios, claro que os rapazes bem cuidados ajudam mesmo que estejam mais preocupados em olhar seus braços nos espelhos hahahah.

Quero ainda perder mais uma dezena e meia de kilos para chegar ao peso considerável saudável, acho que chego lá. Essa é a primeira vez que digo isso: acho que chego lá! E estou contente por isso. Metas são importantes, a que implicou em mudar uma coisa que me incomodava mesmo que minimamente tornou tudo mais gostoso ainda.

Quem sabe mais pra frente meus queridos, porém maléficos cigarros não entrem na dança junto com minha caótica organização financeira. Mas calma, uma meta por vez🙂