Etiquetas

, ,

Sempre tive uma relação muito complexa com a culpa, eu e todo mundo na verdade.

Raramente passei por situações de arrependimento, se faço algo é porque queria fazer e os raros momentos que me arrependo são em geral por coisas que não fiz.

A questão é que com a maturidade aprendi a me livrar da culpa das pequenas coisas, relacionada na maioria das vezes ao que perco.

Passei novamente o carnaval no Rio e foi uma delicia, em medidas iguais me diverti nos blocos, fui a praia e curti o descanso que apenas um sofá e uma temporada de Friends pode proporcionar. Mas você está no Rio, o sol brilhando, porque sofá? Porque eu quis! Não idolatro praia, fui e fiquei o quanto quis e nas quais quis.

Viajei com um pequeno grupo composto de uma amiga e um casal, cada qual ficou com sua chave e nos encontramos quando e quanto quisemos, outros tantos amigos e conhecidos pipocaram, tudo sem pressão, sem hora marcada, sem obrigações.

Tenho lutado por uma vida simples, e só agora tenho me dado conta de que para isso tenho eu que ser simples e livrar-se das pequenas culpas é o primeiro passo.

Não é possível ter tudo, não é possível querer tudo, portanto valorizar o que se quer naquele momento é essencial.

Talvez esse seja o texto mais pseudo auto ajuda que já escrevi e talvez por isso o mais sincero. E olhem: pessoas complicadas, se eu consegui, pode ter certeza que você consegue.

Anúncios