Terça -feira postei um texto fictício que informava duas novas ações do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab e os seus desdobramentos.

As medidas: a proibição de livros com menos de 300 paginas e do sorriso. Cerca de 10 pessoas me perguntaram se aquilo era verídico, uma até comentou no post indignada. Me diverti inicialmente, minha ideia inicialmente era pegar uma situação hipotética absurda e discorrer as reações em cima dela e quando pronta me lembrou a estética do Saramago (só os moldes que fique claro, não me considero nem escritor, quanto mais alguém capaz de reproduzir alguém tão genial quanto o Saramago).

Foi então que me lembrei de uma noticia falsa que circulou alguns anos atrás na web e abordava os novos planos da Ângela Bismarchi de retirar os bicos do seio e costurar a vagina para o carnaval, na época acreditei piamente, afinal a “modelo” que claramente tem distúrbios psicológicos de aceitação do corpo e realizou segundo a última noticia que encontrei 42plásticas poderia facilmente fazer algo tão absurdo como o noticiado.

O que mais me entristecei em relação ao meu conto foi isso: uma situação hipotética e absurda como as citadas foram encarada como possível por tantas pessoas, assim como uma mutilação genital foi recebida sem surpresa por se tratar de uma pessoa doente. A que ponto chegamos de descrença a políticas publicas e a figura que governa nossa cidade.

Durante a semana as bancadas evangélicas esboçaram um movimentou em prol dos tratamentos psicológicos para tratamento de homossexualidade, algo não considerado doença a alguns ano, ainda nesses dias uma sugestão de legislações indicando que médicos fariam os papeis de juízes na aprovação do aborto (não que eu seja contra o aborto, só acho que cabe a mãe a decisão). Isso entre outras tantas asneiras.

Estamos regredindo, estamos morrendo lenta e claramente e ninguém esta fazendo nada e o pior, estamos nos acostumando, ficando apenas levemente chocados. No fim das contas, acho que o Kassab já nos proíbe o riso.