Criei dias atrás o criança viada, tumblr que rapidamente virou hit e imediatamente coloquei hora pra acabar: 3 dias pra ser mais exato.

Tomei essa decisão porque nada me incomoda mais do que piada repetida exaustivamente, em lugar nenhum, na internet então fica mais chato: ganha ares de oportunismo barato e é a mais representação de preguiça. Na web não existe pressão de anunciantes, não existe obrigatoriedade de seguir padrões: você pode fazer o humor que quiser, entreter como quiser e fora o custo do tempo dedicado ao que estiver fazendo não gera nenhum gasto ou seja: é o espaço para se experimentar e criar livremente.

Existe uma série de perfis longínquos que admiro: Nair Bello e Hebe Camargo são bons exemplos, perfis criados para homenagear figuras icônicas que perduraram décadas, porque seria diferente com suas versões virtuais? No quesito Tumblr devo citar o Como me sinto quando, que perdurou por lidar com situações infindáveis e não um mote único como é o criança viada (apesar de não gostar da forma descarada e preguiçosa como é feita publicidade no espaço, mas né, acontece)

Mas ai temos os preguiça: 500 coisas, não sei o que da depressão, tipos disso, tipos daquilo, fulana indelicada, Moço, moça, lindo, linda, que saco, ninguém parece se contentar em reclamar, é preciso listar suas reclamações, é preciso também ofender. Sim, as vezes tem graça quando bem feito a exemplo do tipos de biscate que se desdobrou em personagens e foi pro off line em uma festa conceito bastante divertida, mas esse perfis são no geral uma grande piada contada mil vezes, que preguiça, que preguiça.

O mesmo vale pro look do dia, a Cris do hoje vou assim inaugurou, ai vieram as outra milhões e pior: todas com os mesmos looks. Pensar em novos formatos pra discutir moda, trazer pra vida real quase ninguém quer né? As meninas da Oficina do Estilo conseguem a Livia do Glamour Paraguaio imprime sua marca no copilado de referencias que junta no seu blog e a Fake Doll fala de moda com a mesmo animo e dedicação de que quando fala de um bairro ou uma banda que gosta, é assim com gente que pensa viu ti girls milionárias? Adiante ter grana mas não ter inteligência? Uma pena.

Ai temos o núcleo que podemos falar já mudou de patamar: Julia Pethit com seu Patiscos e Phelipe Cruz com o Papel Pop já deixaram de ser blog pra virar veiculo, lindo: sabem rentabilizar seus espaços, imprimir estilo e informar em um balanço perfeito entre conteúdo e publicidade, falta um pouquinho de inovação, mas isso vem com o tempo.

Para finalizar não posso deixar de citar a Dani Arrais e seu lindo Don`t touch my moleskine, com projeto editorial lindo composto de variedades de texto, música, fotos e a habilidade em pensar fora da caixa (mesmo que se inspirando em formatos gringos) como Instamissiom e Auto Ajuda do dia no Pinterest.

Mas voltemos a punhetagem de conteúdo, principalmente no humor – bem mais fácil roubar idéia e formato né? Sem contar a facilidade do ataque: até coisa de um ano e meio atras lia com frequência aqueles blogs de gongação a celebridades recheados de pajuba, até perceber que era apenas isso: gongação, criar um nome em cima do desprezo ao outro é triste e assim saíram do meu feed.

Conheço grande parte de quem citei aqui, os que admiro faço questão falar: parabéns, você é foda, os que discordo falo que poderia evoluir, fazer algo mais bacana, é assim que a gente cresce, é assim que a gente aprende.

Estamos criando um mercado, estamos criando formatos e deveríamos estar mais preocupado debatendo isso, deveríamos estar experimentando mais, inovando mais, rindo mais e errando: vejo hoje na social mídia um comodismo, prova disso é que em poucas horas já criaram um twitter e um facebook com a minha idéia, e distorcida pro mal ainda por cima.

O criança viada já me deixa saudade, sei que se deixasse no ar por mais algumas semanas conseguiria algum dinheiro com ele mas não acho que teria sentido: ele foi uma brincadeira e mesmo brincadeira consegui levantar algumas questões bacanas ligadas a questão de gênero que eu tanto amo.

E que venham outras fanpages engraçadas, outros tumblrs, outras novas plataformas, mas principalmente que venham novas idéias, novos formatos e que a xoxo mídia deixe de ser xoxo para divertir, informar e acrescentar.

Update

A Dani entrou em contato comigo e contou que ambos os projetos são originais e pensados por meio de brainstorms com a sócia Luiza Volpi e que a ideia delas é realmente o que falei aqui: desenvolver novas ideias. Obviamente em algum lugar no mundo alguém pode ter pensado algo similar e posto em prática (o que achei que tinha acontecido, mas não foi o caso) e mesmo se tivesse sido a execução delas é lindamente feita e eu adoro que tenha gente assim no Brasil também 🙂

Anúncios